Guerra dos Meninos

CURTA-METRAGEM, DOCUMENTÁRIO

Bitola: 16 mm

Ano: 1991

Duração: 52 ´
Projeto e Direção Sandra Werneck
Produção Synapse, MP@ Produções, Lês Films D´Ici, FR3
Produtores Executivos Delegados Julio Worcman (Brasil) Yves Jeanneau (França)
Direção de Produção Jaime Shwartz (Brasil) Michele Thecle (França)
Roteiro Maria Clara Moraes e Sandra Werneck
Fotografia: Guy Gonçalves
Direção de Arte Kika Lopes
Produção Executiva Alvarina Souza e Silva
Montagem Vera Freire
Som Direto Silvio Da-Rin
Música David Tyguel
Narração Paulo José

SINOPSE Existe uma guerra silenciosa, não declarada oficialmente. Nesta guerra não se delimitam territórios ou armas. Um combate sem causas, disputas ou conquistas, onde os combatentes sequer distinguem seus inimigos.

Essa guerra se passa no Brasil. Essa guerra é a Guerra dos Meninos. Nos últimos cinco anos 1.822 crianças foram assassinadas.

São sete milhões de crianças que vivem nas ruas, revolvendo lixeiras, esmolando, trabalhando como vendedores ambulantes ou sobrevivendo graças a pequenos delitos. Na tentativa de compreender as causas e conseqüências dessa Guerra dos Meninos, a câmera percorre favelas, periferias e becos dos grandes centros urbanos focalizando o enorme lixo social que, nas palavras de Gilberto Dimenstein, “ se esconde sob o tapete da nação, e cuja ponta saliente se revela no extermínio sistemático de crianças”.

Quem são essas crianças? Porque são assassinadas? Quem as mata?

A delinqüência juvenil e a prostituição infantil como alternativas de sobrevivência, a violência policial, a institucionalização do matador na organização de grupos de extermínio, a impunidade generalizada e a banalização da morte são reveladas através do contato frontal com personagens que vivenciam diariamente a violência da realidade brasileira.

Evitando a forma agressiva do sensacionalismo, longe do academicismo ou do didatismo fácil, o documentário se apóia na sinceridade e delicadeza ao tratar ao tratar o assunto. Para alguns, o filme se caracteriza por sua abordagem marcadamente autoral